Cordão de Prata

“Cordão de Prata”, para quem não conhece este termo, trata-se de um cordão luminoso que é a conexão de nosso corpo etéreo (Espiritual) com nosso corpo material (Físico). Abaixo segue um texto que nos explica  este tema tão importante. Eu os convido a leitura.

Dentro do estudo da projeção da consciência, o cordão de prata (1) é um capítulo à parte. É, na verdade, uma das partes mais importantes desse estudo.  Alguns projetores afirmam que o cordão de prata não existe, que nunca o viram em suas projeções. Contudo, isso é fácil de explicar: às vezes a densidade do cordão é tão sutil que o mesmo se torna invisível e intangível para o próprio projetor.

 Além disso, se o projetor estiver projetado a grande distância do seu corpo físico, fica mais difícil ainda percebê-lo. Pode se considerar, ainda que se alguns projetores não conseguem ver nem mesmo o próprio corpo humano deitado no leito, e isso não significa que ele não existe. A melhor maneira do projetor verificar a existência do cordão de prata é se manter perto do corpo físico, onde sua densidade é maior, devido à ação da cúpula energética, e usar, então, as mãos extrafísicas (paramãos) para apalpar a própria nuca extrafísica (paranuca) e ali tocar ou sentir as pulsações energéticas do cordão.

Pelo fato do cordão se inserir na parte posterior da paracabeça do psicossoma, é óbvio que o projetor pode não percebê-lo, pois na maioria das vezes está olhando para frente, e nem se apercebe de que há uma conexão energética sutil, ligando-o ao corpo físico. Além do grande número de projetores (a maioria) que relatam ter visto e até tocado extrafisicamente o cordão de prata, temos também o relato de muitos clarividentes que em plena vigília física, viram o cordão aderido no psicossoma do projetor que lhes aparecia naquele instante.

Há, ainda, as informações passadas pelos espíritos desencarnados, através da psicografia e da psicofonia, contendo informações pormenorizadas do funcionamento desse cordão. Há uma certa controvérsia entre os pesquisadores e projetores a respeito do ponto de conexão do cordão de prata no corpo físico. Alguns dizem que ele se situa no plexo solar, outros afirmam que o ponto de contato é no interior da cabeça. Na verdade, o cordão de prata é uma série de filamentos energéticos embutidos por toda a extensão (interna) do corpo físico.

 Quando o psicossoma se projeta, esses filamentos se distendem e se unem formando, então, um feixe de energia que liga os dois corpos. Pode se dizer que são minicordões que se juntam num só. Os principais filamentos se distendem de cinco pontos básicos: ventre (chacra sexual), plexo solar (chacra umbilical), baço (chacra esplênico), coração (chacra cardíaco) e cabeça (chacras coronário e frontal). Às vezes, essa ligação do cordão de prata se faz pelas omoplatas extrafísicas (paraomoplatas) e chega até a paranuca por dentro do psicossoma.

Se o psicossoma se apresentar bastante denso energeticamente fora do corpo, é bem provável que o projetor veja um grande filamento do cordão exteriorizando-se do plexo solar ou do peito, pois são áreas que contém muito ectoplasma. O filamento energético da cabeça também estará exteriorizado, porém, como é muito sutil, o projetor poderá não percebê-lo. Como o leitor observa, o cordão de prata exterioriza-se de pontos diferentes no corpo físico, mas sua conexão principal está situada na cabeça, sede do corpo mental. Nem é preciso dizer que a pessoa pensa com a cabeça, e não com a barriga, mais precisamente enraizado na Glândula Pineal.

Nos relatos mediúnicos passados pelos espíritos desencarnados, eles informam que o rompimento final do cordão de prata se dá dentro da cabeça, e não no plexo solar. Para comparação do leitor, vejamos alguns relatos importantes sobre o cordão de prata extraídos das principais obras de projeção extrafísica:

– (Trechos extraídos do livro “A Transição Chamada Morte” – Charles Hampton – Páginas 42-44 – Editora Pensamento):

“O livro do Eclesiastes – Cap. 12 – Vers. 6, se refere ao cordão de prata com estas palavras: ‘ou o cordão de prata se solte ou o vaso de ouro se parta’. Uma quantidade enorme de filamentos nervosos reúnem-se na base do crânio e são, então, entrelaçados através da matéria do próprio cérebro. Assim podemos considerar o cérebro um painel controlador do sistema telegráfico dos nervos e dos músculos do corpo como se ele operasse alternadamente através da linha-tronco do cordão de prata pelas consciências superiores.

O cordão de prata reúne os filamentos nervosos que terminam no cérebro num cabo elétrico, que é ligado à sutura do alto da cabeça, chamada em sânscrito de centro brahmarandra, ou abertura de Brahma. É através desse centro do topo da cabeça que normalmente a consciência deixa o corpo humano, parcialmente no sono ou na meditação, e completamente na morte”. “Imagine-se um cabo feito com muitas centenas de delgados filamentos nervosos, cada um deles tendo uma linha claramente definida de substância etérica estendendo-se a partir deles, desde o ponto em que se une ao corpo, mas tornando-se mais etéreo à proporção que penetra os éteres mais finos, até tornar-se muito tênue.

Uma boa ilustração é um feixe de raios luminosos cruzando certa extensão do espaço e pelo qual um aeroplano pode-se guiar com certeza e segurança, tal como nas histórias infantis em que as fadas deslizam pelos raios do luar. Assim como temos inumeráveis extensões de ondas em nosso rádio, e a sinfonia passa a uma fração de polegada de distância das notícias irradiadas, sem que uma jamais interfira na outra; da mesma forma o cordão de prata de uma pessoa jamais se emaranha com o de outra, porque cada pessoa é única, tal como duas folhas de uma árvore não são exatamente iguais, ou duas impressões digitais não são as mesmas”.

“No sono, principalmente numa pessoa que tenha receio de se afastar demais de seu corpo, o cordão de prata tem a aparência de um cordão umbilical, a não ser pelo fato de estar ligado ao centro do cérebro e não ao umbigo. Parece quase palpável. Mas se uma pessoa viaja a uma certa distância de seu corpo, seria mais comparável a uma irradiação de farol”.

A partir desses relatos, o leitor constata que o verdadeiro protetor do corpo físico durante a experiência extracorpórea é o cordão de prata. Ele não falha: sempre vai puxar o projetor de volta para a sua “cela de carne”. Inclusive, em certas situações, o cordão pode interromper uma projeção, devido a algum barulho ocorrido nas proximidades do local onde o físico está deitado, bem no meio de um evento extrafísico importante.

O projetor deve se acostumar, pois isso é mais comum do que se pensa. Muitas pessoas perguntam: “Pois bem, depois de sair do corpo como é que se faz para voltar para ele?” – Na verdade, essa questão não é importante, pois a volta para o corpo é inevitável. O espírito está ligado ao corpo para uma experiência encarnado na Terra, e o cordão é que o mantém anexado ao plano físico. Portanto, o projetor não deve se preocupar com isso, pois não há como não voltar para o corpo. (Texto extraído do livro “Viagem Espiritual II – Wagner Borges – Editora Universalista – 1995.)

– Notas:

1. Cordão de Prata: conduto energético que interliga o corpo espiritual ao corpo físico durante as experiências fora do corpo; cordão astral; fio de prata; teia de prata; cordão prânico; cordão espiritual.

2. Tal fato se deve a três fatores básicos: – Medo de encarar o próprio corpo, prostrado no leito, vazio de alma, tal qual zumbi; – A ação do cordão de prata, dentro do perímetro energético de sua cúpula, cria dificudades para o projetor se manter totalmente lúcido e com perfeita autocrítica dos fatos; – Psicossoma portando energias muito densas, o que acarreta distorções nas parapercepções do projetor; Obs.: O famoso projetor inglês da década de 1920, Oliver Fox (pseud. de Hugh Callaway (1885-1949), autor do livro “Astral Projection”) nunca viu seu corpo físico durante as suas projeções.

3. Psicossoma (do Grego: “Psique”: “Alma”; e “Soma”: “Corpo”): Significa literalmente “corpo da alma” – Expressão usada inicialmente pelo espírito André Luiz nas obras psicografadas por Francisco Cândido Xavier e por Waldo Vieira, nas décadas de 1950-1960, que atualmente é mais usada pelos estudantes de Projeciologia). Sinonímias: “Corpo espiritual” (Cristianismo – Cor. I, cap. 15, vers. 44) – “Corpo astral” (do Latim “Astrum”: “Estrelado” – Expressão usada pelo grande iniciado alquimista Paracelso, no séc. 16, na Europa, e por diversos ocultistas e teosofistas posteriormente) – “Perispírito” (Espiritismo – Allan Kardec, séc. 19, na França) – “Corpo de luz” (Ocultismo).

4. Às vezes, essa ligação do cordão de prata se faz pelas omoplatas extrafísicas (paraomoplatas) e chega até a paranuca, por dentro do psicossoma.

5. Ectoplasma: energia bastante densificada do interior do corpo humano, que, por vezes, se exterioriza para fora do corpo humano.

6. Ver o ótimo livro de Hernani Guimarães Andrade: “Espírito, Perispírito e Alma”; Ed. Pensamento; pág.153-157.

7. Tudo indica que esse pequeno corpo acinzentado era uma massa de ectoplasma exteriorizada do corpo físico. Bibliografia para Cordão de Prata Autor – Livro – Editora Allan Kardec – O Livro dos Espíritos, perguntas 135, 135a, 155, 155a, 401 e 437 – Livraria Allan Kardec Editora Allan Kardec – O Livro dos Médiuns, questões 172 a 174 – Livraria Allan Kardec Editora Léon Denis – No Invisível, capítulo 12 e págs. 132 e 153 – Federação Espírita Brasileira André Luiz/Francisco C. Xavier – Nosso Lar, capítulo 33 e pág 182 – Federação Espírita Brasileira André Luiz/Francisco C. Xavier – Os Mensageiros, pág. 250 – Federação Espírita Brasileira André Luiz/Francisco C. Xavier – Nos Domínios da Mediunidade, pág. 98 – Federação Espírita Brasileira André Luiz/Francisco C. Xavier – Mecanismos da Mediunidade, capítulo 21 e págs. 104 e 149 – Federação Espírita Brasileira André Luiz/Francisco C. Xavier – Evolução em Dois Mundos, pág. 132 – Federação Espírita Brasileira Hernani Guimarães Andrade – Espírito, Perispírito e Alma, capítulo 7 e págs. 111 e 148- Editora Pensamento Waldo Vieira – Projeções da Consciência, págs. 53, 84, 147 e 176 – Livraria Allan Kardec Editora Waldo Vieira – Projeciologia, capítulos 96 e 101 – Edição do Autor Lancellin/João Nunes Maia – Iniciação-Viagem Astral, todo o livro – Editora Espírita Cristã Fonte Viva Charles W. Leadbeater – Clarividência – Todo o livro – Editora Pensamento Yvonne A. Pereira – Memórias de um Suicida, págs. 48 e 49 – Federação Espírita Brasileira Atenção: O rompimento deste cordão só acontece no desencarne, e este somente Deus pode romper.

2 respostas em “Cordão de Prata

  1. Bom Mayra ai vai a definição, coisa simples ein….mais fácil que aprender inglês….hehehe

    ECTOPLASMA

    Palavra de origem grega: ektós= indica movimento para fora; plasma= obra modelável, substância plástica.

    – Definição: Substância que emana do corpo de um médium capaz de produzir fenômenos de efeitos físicos ou aparições à distância. Trata-se de uma exalação fluídica, sensível ao pensamento, visível ou invisível, plástica, inodora, insípida, originalmente incolor, que tem a semelhança de uma massa protoplasmática.

    – Natureza: Independe do caráter e das qualidades morais do médium, constituindo emanações do sistema psicofísico, das quais o citoplasma celular é uma de suas fontes de origem.

    PERISPIRITO

    É o corpo espiritual necessário ao mundo de relação dos Espíritos ainda ligados à forma. É a individualização do Fluido Cósmico Universal em torno de uma individualidade, que o congrega em si por um automatismo instintivo. Uma segunda função não menos importante do perispírito é a de ser um intermediário entre a matéria e o Espírito, o elo de união entre a alma e o corpo, a condição necessária para as relações entre o espiritual e o físico.
    O perispírito é composto pela quintessência dos elementos combinados e acumulados no somatório das experiências reencarnatórias anteriores. Evolui e progride com o Espírito, pois, a cada passo do seu progresso, o Espírito vibra em ambientes mais sutis, tirando daí a sua “matéria”, tornando-se o perispírito tanto mais sutil e menos material, quanto mais elevado e perfeito for o indivíduo.
    O perispírito delimita a individualidade no Plano Espiritual, reflete os progressos já realizados e caracteriza o estado de adiantamento do ser. O Espírito está intimamente ligado ao perispírito por mecanismos sutis de natureza ultraconsciencial. Por causa disso, tudo o que o Espírito quer fazer, até um mínimo pensamento, o perispírito acusa de modo especial.
    Quando um Espírito reencarna, é pelo perispírito que se liga à matéria. Isso porque o Espírito é imaterial, necessitando de um intermediário, para que possa manifestar-se no mundo físico.

    Espero que tenha ajudado de alguma forma….maiores informações você vai encontrar no Livro do Espiritos – Allan Kardec

    Até mais

Gostou? Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s