Ervas no ritual de Umbanda

As ervas tem grande importãncia nos rituais de Umbanda, constituindo a maior parte dos elementos utilizados. Na Umbanda, utiliza-se Litúrgica e Ritualisticamente, as ervas de nossa flora, para amacís, imantações, banhos de descarga, etc… As plantas dos Orixás se dividem em 3 grupos primordiais: POSITIVAS, NEGATIVAS e NEUTRAS, e são assim catalogadas, conforme a fase lunar da colheita.
Positivas – deverão ser colhidas na fase crescente ou cheia
Neutras – deverão ser colhidas na fase nova
Negativas – deverão ser colhidas na fase minguante

 

Entretanto a sua polarização final vai sempre depender das seguintes condições explícitas

 

Vibração de quem vai usá-la

 

Vibração das demais ervas utilizadas

 

Vibração da intenção com que serão usadas

POSITIVAS: São ervas que, quando usadas, só positivam, não podendo ser intrinsecamente usadas para outro tipo de trabalho.

 

NEUTRAS: São todas as ervas que servem para, material ou espiritualmente, neutralizar o efeito de outras ervas, o efeito de doenças, assim como o efeito de vibrações negativas e/ou positivas.

 

NEGATIVAS: São ervas usadas explicitamente para negativar.

A erva é sempre positiva quando colhida nos dois primeiros dias da lunação respectiva, a dita erva torna-se neutra quando colhida nos 3o, 4o e 5o dias da lunação, e negativa quando colhida nos 6o e 7o dias da lunação. Diz-se Dia de Lunação, porque as ervas devem ser colhidas da 6hs às 18hs, portanto sob o efeito dos raios solares (apesar de regidas pelas fases da lua).

 

Jamais deve-se colher uma erva antes das 6hs ou depois das 18hs, como também, nunca se deve plantar qualquer erva no mesmo período.

As ervas devem ser usadas de três formas diferentes:

 

Para efeito medicinal

 

Para efeito Litúrgico

 

Para efeito Ritualístico

 

A) Para efeito medicinal, as ervas podem ser usadas como:

 

Como tratamento preventivo

 

Como tratamento normal da doença

 

Como abortivo rápido e definitivo da referida doença

I) Para uso preventivo, as plantas devem ser colhidas nos 1o e 2o dias da lunação respectiva.

II) Para uso no tratamento normal da doença, as plantas devem ser colhidas nos 3o, 4o e 5o dias da lunação respectiva.
III) Para uso como abortivo, as plantas devem ser colhidas sempre no 6o e 7o dias da lunação respectiva.

B) Para efeito litúrgico, as ervas podem ser usadas como:

 

Como imã, para atrair as vibrações do Orixá desejado.

 

Como neutralizante entre duas forças ou Orixás.

 

Como ação repulsiva ao Orixá não desejado.

I) Como imã, as ervas devem ser colhidas nos 1o, 2o e 3o dias da lunação respectiva.

 

II) Como neutralizante, as ervas devem ser colhidas nos 3o, 4o e 5o dias da lunação respectiva.

 

III) Para efeito repulsivo, as ervas devem ser colhidas nos 6o e 7o dias da lunação respectiva.

 

 C) Para efeito ritualístico, as ervas podem ser usadas como:

 

Como afirmação ou concordância de efeito Litúrgico.
Como equilíbrio entre as forças vibratórias implantadas durante a ação litúrgica.
Como discordância com as forças imantadas.

 

Entende-se por força imantada, toda a vibração atuante no Ser, mesmo que seja à revelia do mesmo.

I) Como confirmação, as ervas devem ser colhidas nos 1o e 2o dias da lunação respectiva.

 

II) Como equilíbrio, as ervas devem ser colhidas nos 3o, 4o e 5o dias da lunação respectivo.

 

III) Como discordância (descarga), as ervas devem ser colhidas nos 6o e 7o dias da lunação respectiva.

 

RELAÇÃO DAS ERVAS POR ORIXÁS

LINHA DE OXALÁ: Arruda, arnica, laranja-da-terra (folhas), hortelã, poejo, girassol, vassoura-branca, erva-de-oxalá, erva-cidreira, alecrim-do-campo, levante, alecrim miúdo, bambu (folhas), erva-quaresma

LINHA DAS SENHORAS: Lágrimas-de-Nossa-Senhora (folhas), mastruço, rosa branca (folhas), pariparoba, orirí-de-Oxum, erva-de-Santa-Luzia, espada-de-Santa-Bárbara, trevo (folhas), quina roxa, abóbora-d\”anta, vitória-régia, açucena, erva-de-Santa-Bárbara, malva-rosa, suma-roxa.

 

LINHA DE IBEJI: Amoreira (folhas), alfazema, salsaparrilha, manjericão, ipecacuanha, anil (folhas), capim-pé-de-galinha, arranha-gato.

 

LINHA DE XANGÔ: Limoeiro (folhas), erva-lírio, café (folhas), saião (folhas), erva-de-São-João, abre-caminho, quebra-mandinga, erva-de-Xangô, quebra-pedra, ruibarbo, louro, aperta-ruã, maria-nera, erva-moira, maria-preta, erva-de-bicho.

 

LINHA DE OGUM: Comigo-ninguém-pode, espada-de-ogum, lança-de-Ogum, flecha-de-Ogum, cinco-folhas, jurupitã (folhas), jurubeba (folhas), musgo (marinho), ipê (folhas), losna, romã (folhas), sabugueiro, erva-de-coelho.

 

LINHA DE OXÓSSI: Picão-do-mato, cipó-caboclo, barba-de-milho, mil-folhas, funcho, fava-de-quebranto, gervão-roxo, tamarindo (folhas), alecrim-do-mato, boldo, malvarisco, sete-sangrias, unha-de-vaca, azedinha, chapéu-de-couro, grama-barbante.

 

LINHA DAS ALMAS: Café (grão), guiné (erva-pipi), arruda (folhas), cambará, sete-folhas, aroeira (folhas), erva-grossa, vassoura-preta, cravo-de-defunto, mal com tudo, cipó-cabeludo.

Oxalá

Urubatão da Guia ———— ——- Maracujá
Guaraci ———— ——— ——— — Girassol
Guarani ———— ——— ——— — Hortelã
Aymoré ———— ——— ——— — Louro
Tupi ———— ——— ——— ——– Arruda
Ubiratan ———— ——— ——— – Jasmim
Ubirajara ———— ——— ——— Erva- cidreira

Ogum

Ogum de Lei ———— ——— ——– Romã
Ogum Rompe-Mato ———— —— Samanbaia
Ogum Beira Mar ———— ——— — Jurubeba
Ogum de Malé ———— ——— —– Cinco Folhas
Ogum Megê ———— ——— ——– Macaé
Ogum Yara ———— ——— ——— Losna
Ogum Matinata ———— ——— — Tulipa

Oxossi

Arranca Toco ———— ——— —– Erva Doce
Cobra Coral ———— ——— ——- Parreira-do- mato
Tupynambá ———— ——— ——- Sabugueiro
Juremá ———— ——— ——— —- Erva-doce
Pena Branca ———— ——— —– Malvaísmo
Arruda ———— ——— ——— —– Malva-cheirosa
Araribóia ———— ——— ——— – Dracena

Xangô

Xangô kaô ———— ——— ——— Limão
Xangô Pedra Preta ———— —– Goiaba
Xango 7 Cachoeiras ———— — Erva-tostão
Xangô 7 Pedreiras ———— —— Abacate
Xangô Pedra Branca ———— — Lírio da cachoeira
Xangô 7 Montanhas ———— — Alecrim do mato
Xangô Agodô ———— ——— — Fedegoso

Yorimá

Pai Guiné ———— ——— ——— – Eucalipto
Pai Congo D´Aruanda ———— Sete-sangrias
Pai Arruda ———— ——— ——– Vassoura branca
Pai Tomé ———— ——— ——— – Alfavaca
Pai Benedito ———— ——— —- Trombeta
Pai Joaquim ———— ——— —– Guiné-pipiu
Vovó Maria Conga ———— —- Tamarindo

Yori

Tupãnzinho ———— ——— — Manjericão
Yariri ———— ——— ——— — Verbena
Ori ———— ——— ——— —— Capim-limão
Yari ———— ——— ——— —– Melão-de-São Caetano
Damião ———— ——— ——– Morango
Doum ———— ——— ——— – Amoreira
Cosme ———— ——— ——– Crisântemo

Yemanjá

Cabocla Yara ———— ——— — Panacéia
Cabocla Estrela do Mar ——— Pariparoba
Cabocla do Mar ———— ——– Picão-do-mato
Cabocla Indayá ———— ——– Manacá
Cabocla Yansã ———— ——— Folhas de violeta
Cabocla Nanã Burukum ——-Arruda fêma
Cabocla Oxum ———— ——— Quitoco

3 respostas em “Ervas no ritual de Umbanda

  1. goataria de saber como combino as ervas para descarrego ,quero fazer um banho do mesmo e preciso de orientação para saber como devo combina-lá.

    • Cara, Gisele, Saravá,
      Os banhos ritualísticos devem ser feitos com ervas frescas, isto é, não se demorar muito para usá-las, pois o Prana contido nelas, vai se dispersando e perde-se o efeito do banho;
      o Banho de Descarga (ou descarrego) serve para descarregar e limpar o corpo astral, eliminando a precipitação de fluídos negativos (inveja, ódio, olho grande, irritação, nervosismo, etc.), assim, devemos combinar as ervas de acordo com o que se quer “limpar”, ou seja, usar ervas que complemenem a intenção, por exemplo uma para limpeza espiritual,afastar eguns ou vibrações negativas, uma para saude, caso tenha algum proplema, e etc.

      • A quantidade de ervas, que irão compor o banho, são 1 ou 3 ou 5 ou 7 ervas diferentes e afins com o tipo de banho;

      Atenção: Banhos feitos com água quente devem ser feitos por meio da abafação e não fervimento da água e ervas, isto é, esquenta-se a água, até quase ferver, apague o fogo, deposite as ervas e abafe com uma tampa, mantenha esta imersão por uns 10 minutos antes de usar.
      Os banhos não devem ser feitos nas horas abertas do dia (06 horas, 12 horas ou meio-dia, 18 horas e 24 horas ou meia-noite), pois as horas abertas são horas “livres” onde todo o tipo de energia “corre”. Só realizamos banhos nestas horas, normalmente os descarregos com ervas, quando uma entidade prescrever (normalmente um Exú).
      espero ter ajudado
      Adriano D’Ogum Sacerdote de Umbanda

  2. muito bom ter pessoas que se doão a ajudar as outras esse e o verdadeiro sentido da nossa querida umbanda um grande abraço ass: Alexandre do Rio de Janeiro

Gostou? Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s