A prática da Magnetização de roupas e objetos nos terreiros de Umbanda

0Continuando o tema postado nessa coluna na semana passada, hoje traremos a luz o tema sob uma ótica mais prática dentro do cotidiano dos barracões espalhados Brasil afora, para melhor entendimento recomendo a leitura do ultimo artigo relacionado ao tema magnetização de roupas e objetos nos terreiros de Umbanda.

Como já dito anteriormente, há de se afirmar que o fluido magnético é neutro, peculiar a cada objeto no Universo, nos trabalhos de terreiro guias impõem as impressões de suas educadas mentes para alterar a contextura vibratória original desses condensadores energéticos físicos. A finalidade inicial é de cura, segurança contra miasmas ou descarga de morbos psíquicos, placas e fluidos negativos os mais diversos (restos astral-etéricos, como se fossem lixos que têm de ser removidos e devolvidos à natureza), ou seja, a desmagnetização é realizada com o fito de “purificar” um objeto que se encontra com baixas vibrações.

Na frente do congá (ponto focal de todo o trabalho mágico dos terreiros), o médium coloca a corrente, a medalha, o pingente, a pedra ou tecido, para ser reestruturado magneticamente pela força mental do trabalhador encarnado, que, por sua vez, mediunizado pelo guia responsável por esse tipo de tarefa, comum na umbanda. Esse processo é levado a efeito pelos cânticos de justiça e demanda de Xangô e Ogum.

Ao mesmo tempo em que esse ritual é realizado, no plano astral são socorridos os espíritos sofredores e encaminhados os obsessores para os devidos locais de retenção. Lá, se avaliará a situação cármica individual desses, que precisam urgentemente de esclarecimento para retomar o caminho que os conduzirá à de volta a evolução. Feito isso, é possível uma nova magnetização do objeto e a sua consagração junto à corrente mediúnica formada, o que o libera para a utilização pelo seu dono.

Nas magnetizações e desmagnetizações de guias, talismãs, correntes, pingentes, que são metais e minérios da natureza, a água se mostra excelente meio de fixação vibratória. Por esse motivo, nos rituais próprios da umbanda, é comum colocarem-se esses objetos dentro de um copo ou tigela.

Voltamos a reiterar a necessidade da leitura de artigos anteriores para melhor compreensão do tema, caso o amigo leitor tenha disponibilidade de tempo e maior interesse pela temática, recomendamos um estudo mais aprofundando quanto à manipulação de energias, encontrado em diversas obras de cunho espiritual, organizada por trabalhadores sérios e comprometidos com o desenvolvimento do trabalho na seara espiritual. Fazemos menção aqui as obras de Ramatis, psicografadas por Norberto Teixeira e a obra Energia de autoria de Robson Pinheiro, que vem pautando os artigos publicados nas colunas de terças-feiras desse blog, além é claro do estudo continuo do Livro dos Médiuns, Livro dos Espíritos e o Evangelho Segundo o Espiritismo garantindo o desenvolvimento moral e mediúnico responsável de cada trabalhador.

 Abraços e até a próxima terça-feira.

 Arthur Sinnhofer

Fontes: Livro - Vozes de Aruanda - Ramatis

2 respostas em “A prática da Magnetização de roupas e objetos nos terreiros de Umbanda

Gostou? Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s