A Pobreza Feliz

Madre Teresa de Calcuta caridade amor Caridade, a grande VirtudeQuem se empobrece de ambições inferiores, adquire a luz que nasce da sede da perfeição espiritual.

Quem se empobrece de orgulho, encontra a fonte oculta da humildade vitoriosa.

Quem se empobrece de exigências da vida física, recebe os tesouros inapreciáveis da alma.

Quem se empobrece de aflições inúteis, em torno das posses efêmeras da Terra, surpreende a riqueza da paz em si mesmo.

Quem se empobrece da vaidade, amealha as bençãos do serviço.

Quem se empobrece de ignorância, ilumina-se com a chama da sabedoria.

Não vale amontoar ilusões que nos enganam somente no transcurso de um dia.

Não vale sermos ricos de mentira, no dia de hoje, para sermos indigentes da verdade, no dia de amanhã.

Ser grande, à frente dos homens, é sempre fácil. A astúcia consegue semelhante fantasia sem qualquer obstáculo. Mas ser pequenino, diante das criaturas, para servirmos realmente aos interesses do Senhor, junto da Humanidade, é trabalho de raros.

Bem aventurada será sempre a pobreza que sabe se enriquecer de luz para a imortalidade, porque o rico ocioso da Terra é o indigente da Vida Mais Alta e o pobre esclarecido do mundo é o espírito enobrecido das Esferas Superiores, que será aproveitado na extensão da Obra de Deus.

Emmanuel pelo médium Chico Xavier
Anúncios

Nossos Deveres

409311_272793939508922_605854157_n

A partir da ciência que tenhamos das Supremas Leis de Deus e da consciência que guardemos da importância em vivenciá-las, será menos difícil identificar quais são os nossos deveres no seio da vida terrena.

Se pensarmos na sociedade à qual estamos ajustados, serão deveres nossos o trato da boa convivência, o respeito às leis constituídas, a participação consciente nos labores dedicados ao progresso comum, e assim por diante.

Se frenteamos a questão da liberdade, cabe-nos admitir a chance de aplicar as benesses dessa liberdade em favor da alforria da alma, liberando-nos dos condicionamentos retrógrados como preconceitos e animosidades, além de reconhecer que os outros também devem experimentar essa mesma oportunidade, estabelecendo, então, que o limite da nossa é a liberdade do semelhante.

Se considerarmos o progresso, serão deveres nossos a identificação da importância de desenvolver não somente as coisas relativas ao homem corporal, mas, primordialmente, aquelas condizentes com o ser imortal, caminhante consciente da evolução. Cabe-nos ativar o progresso de tudo o que constitua valor para a alma perene, independentemente de onde haja surgido, uma vez que Jesus tem servidores grandiosos em todos os escaninhos da Humanidade.

Se tratarmos da adoração a Deus, cumpre-nos realizar o esforço de amadurecer concepções, rever como estão as nossas relações com o Criador, afastando-nos tanto do fanatismo, gerado pela ignorância presunçosa, quanto do pieguismo, que representa a ignorância acomodada.

Nossos deveres no mundo, diante da Divina Consciência, refletirão sempre a nossa maior disposição de aprender e servir, deverão demonstrar sempre a nossa capacidade de pensar e espalhar o bem, indicando a nossa maior integração com a harmonia das proposições do Senhor.

Procuremos pensar no dever não como uma cruz, que espezinha e pesa, mas, sim, como uma vestimenta confortável e bela, à qual vamos acrescentando rendas e luzes, na medida em que desenvolvamos maior condição de cumpri-lo sem dor, sem amargura, sem frustrações, mas com os júbilos de quem se supera e não aguarda a imposição dos sofrimentos, das pressões provacionais para executá-lo.

Nossos deveres bem atendidos representarão a nossa maioridade espiritual, que nos abre as portas ao Grande Reino pelo qual anelamos há milênios.

Rosângela C. Lima (espírito)
Mensagem psicografada pelo médium Raul Teixeira, em 25.02.01, na Fazenda Recreio, em Pedreira – SP.

Reencarnação e Inteligência

1super

Foi divulgada em 24 de outubro de 2003, pela agência oficial Xinhua, a notícia do estudante tibetano, de 13 anos, que é capaz de recitar de cor o maior poema épico do mundo, de 10 milhões de palavras, que causou grande admiração , afinal, isto é um feito fantástico. Sitar Doje disse que memorizou o poema enquanto dormia. O poema conta a história do Rei Gesser e está dividida em 200 capítulos e foi transmitida oralmente de geração em geração, até sua publicação em tibetano em 2001. O poema já foi traduzido para o chinês, o inglês, o francês e o japonês e só pode ser totalmente recitado por 140 especialistas.1

Histórias como essa sempre aconteceram, quem é que não conhece a história do menino Mozart que sob o olhar de espanto da imperatriz Maria Tereza, da Áustria, que com apenas 6 anos de idade e com virtuosismo fazia brotar os acordes inspirados de suas sonatas, isso mesmo, Wolfgang Amadeus Mozart, um dos grandes gênios musicais de todos os tempos!

Não é apenas no Tibet ou na Áustria que acontecem fenômenos como esses, mas sim, em todo mundo, inclusive no Brasil que registrou em 1998, 3 milhões de superdotados, entre eles estão Cynthia Laus e Ricardo Tadeu Cabral de Soares.

A paulistana Cynthia Laus era uma dessas crianças que surpreendem os pais com perguntas desconcertantes e com apenas 4 anos de idade, começou a pintar, aos 8 anos de idade já estava expondo 29 obras, em uma conceituada galeria de arte de São Paulo.

Ricardo Tadeu Cabral de Soares começou a ler aos 3 anos de idade, escreveu um livro aos 9 e aos 11 desenvolveu um programa de computador que dava prognósticos de turfe com 90% de acerto. Com 12 anos de idade enquanto cursava a 8série do Primeiro Grau, ele foi o primeiro colocado no vestibular para Direito numa faculdade particular do Rio de Janeiro. Depois de uma batalha judicial o pai de Ricardo, o advogado e arquiteto José Paulo Soares, para conseguir uma liminar que permitisse ao garoto freqüentar a universidade à noite e a escola de manhã, deve de convencer o juiz de que o filho era superdotado.

Assim, em 1988, Ricardo virou o mais jovem universitário brasileiro. Quatro anos depois, entrou para o Livro Guiness dos Recordes como o mais jovem advogado do mundo. Aos 18, concluiu o mestrado em Direito na renomadíssima universidade norte-americana Harvard, uma das maiores concentrações de superdotados no planeta. E se tornou o mais jovem mestrando em Ciências Jurídicas nos 362 anos de história daquela universidade.

Segundo o Livro Guiness dos Recordes, o maior poliglota da atualidade é o libanês naturalizado brasileiro Ziad Youssef Fazah que mora no Rio de Janeiro, que fala, por incrível que pareça, 58 idiomas. Aprendeu todos eles em apenas três anos, entre os 14 e os 17 anos de idade. Em sua lista, estão idiomas como o cambojano, o vietnamita, o tailandês, o javanês e o finlandês.2

Questões como essas levou o Codificador Espírita Allan Kardec, no livro “A Gênese” nas páginas 14 e 15, da 37ª edição da FEB, comentar com sapiência:

“Mas, o professor não ensina senão o que aprendeu: é um revelador de segunda ordem; o homem de gênio ensina o que descobriu por si mesmo: é o revelador primitivo; traz a luz que pouco a pouco se vulgariza. Que seria da Humanidade sem a revelação dos homens de gênio, que aparecem de tempos a tempos?

Mas, quem são esses homens de gênio? E, por que são homens de gênio? Donde vieram? Que é feito deles? Notemos que na sua maioria denotam, ao nascer, faculdades transcendentes e alguns conhecimentos inatos, que com pouco trabalho desenvolvem. Pertencem realmente à Humanidade, pois nascem, vivem e morrem como nós. Onde, porém, adquiriram esses conhecimentos que não puderam aprender durante a vida? Dir-se-á, com os materialistas, que o acaso lhes deu a matéria cerebral em maior quantidade e de melhor qualidade? Neste caso, não teriam mais mérito que um legume maior e mais saboroso do que outro.”3

Segundo os materialistas essa questão torna-se explicável pela “maior quantidade” e “melhor qualidade” de “matéria cerebral”, será mesmo?

“No embrião de três meses (o cérebro) pesa quatro gramas, chegando, no recém-nascido, a 350g. Na criança de um ano chega a 830g e, na de seis anos, a 1.250g. No adulto, o cérebro masculino (1.360g) é maior do que o feminino (1.230g). Isso não se traduz em nenhuma diferença de inteligência ou de qualquer tipo de capacidade mental. Entretanto, cérebros com peso inferior aos limites de 800g (mulher ) e 960g (homem) são incompatíveis com a inteligência normal.”4

Como explicar a diferença de 1.100 gramas nos cérebros de Lorde Byron (2.200 gramas) e Anatole France (1.100 gramas)?5

Se quantidade e qualidade de massa cerebral faz a diferença!!!

“Nos Estados Unidos, o cérebro de Albert Einstein ficou guardado num laboratório por ocasião de sua morte, em 1955. Depois de trinta anos de pesquisas, uma equipe de neurologistas da Universidade da Califórnia descobriu que ele possuía um tipo de células cerebrais – os oligodendrócitos, que ajudam no funcionamento dos neurônios – em número maior do que o encontrado em outros onze indivíduos menos dotados intelectualmente. Mas foi impossível determinar se essas células adicionais já nasceram com Einstein ou se surgiram como fruto de sua intensa atividade mental.”6

Não é com as mirabolâncias do reducionismo científico que explicaremos a vida em profundidade, mas sim, com a lógica da reencarnação. Kardec deixa isso claro e transparente em “A Gênese”:

“Dir-se-á, como certos espiritualistas, que Deus lhes deu uma alma mais favorecida que a do comum dos homens? Suposição igualmente ilógica, pois que tacharia Deus de parcial. A única solução racional do problema está na preexistência da alma e na pluralidade das vidas. O homem de gênio é um Espírito que tem vivido mais tempo; que, por conseguinte, adquiriu e progrediu mais do que aqueles que estão menos adiantados. Encarnando, traz o que sabe e, como sabe muito mais do que os outros e não precisa aprender, é chamado homem de gênio. Mas seu saber é fruto de um trabalho anterior e não resultado de um privilégio. Antes de renascer, era ele, pois, Espírito adiantado: reencarna para fazer que os outros aproveitem do que já sabe, ou para adquirir mais do que possui.

Os homens progridem incontestavelmente por si mesmos e pelos esforços da sua inteligência; mas, entregues às próprias forças, só muito lentamente progrediriam, se não fossem auxiliados por outros mais adiantados, como o estudante o é pelos professores. Todos os povos tiveram homens de gênio, surgidos em diversas épocas, para dar-lhes impulso e tirá-los da inércia.”7

Sem a reencarnação falta lógica a vida, com a reencarnação a vida tem sempre explicação!

por Bernardino da Silva Moreira
Bibliografia:
  • www.terra.com.br/notícias
  • Revista Superinteressante Especial/Gênios da ciência do século XX, Outubro de 1998, Edição 024, págs. 44 e 45, Brilhantes por natureza, Editora Abril
  • A Gênese, Allan Kardec, tradução de Guillon Ribeiro, 37ª edição, FEB, Cap. 1, Caráter da Revelação Espírita, item 5, págs. 14 e 15
  • Nova Enciclopédia Barsa, 2002, Volume 4, Cérebro, pág. 091
  • Revista Internacional de espiritismo, Ano LXXVII, N1, Fevereiro, 2002, O cérebro, a inteligência e o espírito, pág. 018
  • Revista Superinteressante Especial/Gênios da ciência do século XX, Outubro de 1998, Edição 024, pág. 27, De onde vêm as grandes idéias?, Editora Abril
  • A Gênese, Allan Kardec, tradução de Guillon Ribeiro, 37ª edição, FEB, Cap. 1, Caráter da Revelação Espírita, item 5, págs. 15
fonte: http://www.espirito.org.br

Um olhar sob as Obssesões

Queridos amigos, leitores, irmãos e companheiros de trabalho nessa maravilhosa seara espiritual. Abriremos os artigos dessa semana com um artigo que faz um breve olhar sob a obsessão, uma questão que nos assola e nos leva muitas vezes a ter um olhar errôneo da situação a qual vivemos ou vive um próximo a nós.

Espero que com esse artigo possamos ter um olhar mais refinado sob esse tema e que assim possamos de fato averiguar o quanto somos também culpados por casos obsessivos e assim colaborar no trabalho e na reforma intima de cada um. Vale lembrar que esse artigo é dividido em duas partes sendo a primeira postada hoje e a segunda e ultima na próxima semana.

obsessao2Conceito – Distúrbio espiritual de longo curso, a obsessão procede dos painéis íntimos do homem, exteriorizando-se de diversos modos, com graves conseqüências, em forma de distonias mentais, emocionais e desequilíbrios fisiológicos.

Inerentes à individualidade que lhe padece o constrangimento, suas causas se originam no passado culposo, em cuja vivência o homem, desatrelado dos controles morais, arbitrariamente se permitiu consumir por deslizes e abusos de toda ordem, com o comprometimento das reservas de previdência e tirocínio racional.

Amores exacerbados, ódios incoercíveis, dominação absolutista, fanatismo injustificável, avareza incontrolável, morbidez ciumenta, abusos do direito como da força, má distribuição de valores e recursos financeiros, aquisição indigna da posse transitória, paixões políticas e guerreiras, ganância em relação aos bens perecíveis, orgulho e presunção, egoísmo nas suas múltiplas facetas são as fontes geratrizes desse funesto condutor de homens, que não cessa de atirá-los nos resvaladouros da loucura, das enfermidades portadoras de síndromes desconhecidas e perturbantes do suicídio direto ou indireto que traz novos agravamentos àquele que se lhe submete, inerme, à ação destrutiva.

Parasita pertinaz, a obsessão se constitui de toda idéia que se fixa de fora para dentro – como na hipnose, por sugestão consciente ou não, como pela incoercível persuasão de qualquer natureza a que se concede arrastar o indivíduo. Ou, de dentro para fora, pela dominadora força psíquica que penetra e se espraia, no anfitrião que a agasalha e sustenta, vencendo-lhe as débeis resistências.

Originária, às vezes, da consciência perturbada pelas faltas cometidas nas existências passadas, e ainda não expungidas – renascendo em forma de remorsos, recalques, complexos negativos, frustrações, ansiedades -, impõe o auto-supliciamento, capaz, de certo modo, de dificultar novos deslizes, mas ensejando, infelizmente, quase sempre, desequilíbrios mais sérios…

Possuindo o homem os fatores predisponentes para o seu surgimento e fixação (os débitos exarados na mente espiritual culpada), faculta uma simbiose entre as mentes, encarnadas ou desencarnadas, mas de maior incidência na esfera entre o Espírito desatrelado do carro somático e o viandante da névoa carnal, constituindo tormento de larga expansão que, não atendido convenientemente, termina por atingir estados desesperadores e fatais.

Sendo, todavia, a morte, apenas um corolário da vida, em que aquela confirma esta, compreensível é que o intercâmbio incessante prossiga, não obstante a ausência da forma física. Viajando pelo perispírito, veículo condutor das sensações físicas na direção do Espírito e, vice-versa, mensageiro das respostas ou impulsos deste no rumo do soma, esse corpo semimaterial, depositário das forças impregnantes das células, constitui excelente campo plástico de que se utiliza a Lei para os imprescindíveis reajustes daqueles que, por distração ou falta de siso, desrespeito ou abuso, ambição ou impiedade se atrelaram às malhas da criminalidade.

O comércio mental funciona em regime de amplas perspectivas, seja no plano físico, seja nas esferas espirituais; ou reciprocamente.

Não sendo necessário o cérebro para que a mente continue o seu ministério intelectual, constituindo o encéfalo tão-somente o instrumento de exteriorização física, mentes e mentes ligam-se e se desligam em conúbios contínuos, incessantes, muito mais do que seria de supor-se.

O que é normal entre os homens não muda após o decesso corporal.

Há sempre alguém pensando noutrem. O estabelecimento dos contatos como a continuidade deles é que podem dar curso aos processos obsessivos ou lenificadores, consoante seja a fonte emissora.

Através da Física Moderna, em ligeiro exame, podemos constatar que, à medida que a matéria foi perquirida, experimentou desagregação, até quase total extinção da idéia de estrutura.

Dos conceitos medievais aos hodiernos, há abismos de conhecimento, viandando da constituição bruta à quintessência. Em conseqüência, a Terra e tudo que nela se encontra ora se converte em ondas, raios, mentes, energias…

Da ideia simples, que insiste, perseverante, à fascinação estonteante, contínua, até à subjugação vencedora, a obsessão é, em nossos dias, o mais terrível flagelo com que se vê a braços a Humanidade…

Espocando em condições próprias, quais cogumelos bravos e venenosos, multiplica-se assustadoramente, conclamando-nos todos à terapêutica imediata, cuidadosa, e a medidas preventivas, inadiáveis, antes que os palcos do mundo se convertam em cenários nefandos de horror e desastre.

fonte: espiritismo.org / Livro dos Espiritos / Nos Domínios da Mediunidade / A Gênese / Livro dos Médiuns

Mensagem de Maria

Amados Filhos,

Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações. Esperança, amados, hoje Eu retorno para vos preencher com a luz da esperança. É ela que vai permitir que possais seguir em frente, é ela que vai vos abastecer de fé, determinação, compreensão e amor.

Vossas vidas passam por profundas transformações, e não tem sido fácil para vós superar todos os obstáculos que surgem a cada dia, a cada instante de vossas jornadas, atuando como gigantescas ondas que retiram de vós o fôlego necessário para continuardes respirando, mantendo a vida, alimentando as forças necessárias para conseguirdes dar mais um passo, um passo a mais, o passo que significa vossa Redenção.

Ouvi, amados! Da mesma forma que a vida vos coloca frente a frente com os desafios que precisais superar, ela também vos abastece da luz que precisais para prosseguir. Só não prossegue aquele que não quer, que optou pela escolha simples de desistir, de se entregar ao acaso do mundo do caos, de deixar as coisas acontecerem sem buscar resgatar o comando para poder encontrar o caminho da solução.

Aquele que busca prosseguir, com coragem e esperança, sempre encontrará onde se apoiar e como serenar sua mente e seu coração para ouvir a vós de Deus, que fala nas profundezas de cada um de vós. Não esmoreceis, pois neste momento onde o joio e o trigo se separam para dar espaço à entrada das energias amorosas do novo mundo. Aquele que persevera sempre obtém a recompensa dos justos, e a vida está prestes a recompensar-vos com a plenitude que não deixa margem para dor, sofrimento, angústia ou separação.

É hora, pois de respirardes a luz da esperança. É hora de sorrir, é hora de aceitar os desafios com compreensão, é hora de mudar tudo que não condiz com a nova realidade que bate as portas da humanidade, dando as boas vindas àqueles que aceitam pagar o preço para ser feliz. Pagar o preço, amados não é sofrer, não é fazer sacrifícios; pagar o preço é aceitar os desafios com responsabilidade e agir com presteza, para trazer de volta o equilíbrio que reflete a vontade do Pai na vida dos Filhos da Terra.

A vontade do Pai é preencher seus filhos com a plenitude que só o amor contém, e que se manifesta em vosso mundo em tudo que representa o suprimento de todas as vossas necessidades. Contudo, para receber a luz do Pai se faz necessário que possais abrir espaço em vossas mentes e corações, e só se consegue espaço retirando o “velho”; velhos pensamentos, velhos sentimentos, velhas ações, velhos hábitos que só trouxeram para os Filhos da Terra dor, limite e separação.

O “velho” permanece ainda em vós, em muitas áreas de vossas vidas, e é por isso que a vida vos coloca frente aos muitos desafios, para que possais perceber o “velho” em vós e, atuando conscientemente, mudar. Mudar padrões, retirando de vossas mentes todos os condicionamentos e preconceitos que vos mantém acorrentados ao mundo da ilusão. Lembrai-vos que as correntes que não vos permitem crescer são invisíveis aos olhos físicos, mas poderosas para vos manter na escravidão.

Aceitai, pois as mudanças que a vida vos cobra, aceitai o novo em vossas vidas, para que a temperança retorne e traga com ela paz, amor e perfeição. Bem amados, lembrai-vos, ainda, que a esperança é nada sem a ação consciente. Agi, pois, agi com fé e determinação, com consciência e responsabilidade, colocando amor em vossas ações, o amor que precisa transbordar de vós para o mundo, para também transformar o mundo dos limites e da ilusão. Bem amados, que vossas orações alimentem a esperança que leva a ação responsável dos Filhos da Terra, para que a luz se faça presente despertando um novo nível de consciência em toda a humanidade.

 Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe.

 SP-28/06/2011 – Mensagem de Mãe Maria-13-2011 recebida por Jane M. Ribeiro http://br.groups.yahoo.com/group/maemaria