A ERA DE AQUÁRIO E AS 7 CIDADES SAGRADAS

Olá irmãos, como sempre dizemos…são vários os caminhos do conhecimento Divino…; pois bem, para os que ainda não tem idéia, um dos caminhos passa por nossas terras brasileiras. É importante dizer que o Brazil, junto a outros paises, faz parte de um grande plano estratégico para evolução humana. Que tal caminhar por ele? Eu os convido à leitura. (…Adriano D’Ogum…)

Fonte: texto  Prof. Nilton Schultz 

Para começarmos a refletir… quando falamos sobre as Eras uma palavra que logo vem é “Avatara ou Avatar” cuja origem é do Oriente…Ava = descida…Tara =  Torá = Lei……”Descida da Lei”…a consciência dos anjos e deuses se projetando na evolução e criando com suas hierarquias o universo……………”em cima como embaixo” como nos ensina o princípio hermético…

O que é ou onde está um “Avatara” ?…….basta lembrarmos de Krishna, Buda, Cristo entre tantos outros nomes que poderiam ser ditos…cada qual correspondente a sua Era e missão…….e no atual momento vivemos o início da Era de Aquário…

Como as Eras são formadas e porque estão no sentido contrário dos signos ? Pois saímos da Era de Peixes e entramos na de Aquário demonstrando que elas estão no sentido contrário do que conhecemos ?…

Inicialmente devemos entender o que é o Ponto Vernal ou Áries…

 

 

Como podemos observar na ilustração acima vemos o sistema simbólico “geocêntrico”…ou seja..a terra no centro  como ponto parado de observação ( esfera violeta central ) e o sol ( esfera amarela ) realizando seu movimento anual pela eclíptica ( faixa vermelha = 12 signos do zodíaco ).

A entrada do Sol em 4 signos específicos durante o ano nos oferece os quatros Solstícios ou quatro estações: Quando o Sol entra no signo de Áries ( 1º signo do zodíaco ) temos o Solstício de Outono no Hemisfério Sul e de Primavera no Hemisfério Norte…isto sempre ocorre nos dias 20 ou 21 de março todo ano….aí está o Ponto Vernal ou Áries onde se comemora o famoso “Ano Novo Astrológico” em inúmeras tradições esotéricas ( sagrado oculto ) e também exotéricas ( sagrado profano )…

Posteriormente o Sol ingressa no signo de Câncer sendo Inverno no Sul e Verão no Norte…no signo de Libra originando o início da primavera no Sul e Outono no Norte e por fim no signo de Capricórnio com o Verão no Sul e Inverno no Norte…para entender isto basta observar com mais atenção a ilustração acima…mas o que realmente nos interessa durante esta reflexão é o ponto Vernal ou Áries onde se inicia o Ano Novo Astrológico que é o ponto principal e inicial para entendermos como se forma uma Era…

Os astrônomos, astrólogos, magos, sacerdotes e grandes observadores das estrelas perceberam que o Sol neste percurso anual sempre chega em torno de “50 segundos atrasado” no Ponto Vernal ou Áries…fazendo com que exista ao decorrer dos anos um movimento retrógrado “simbólico” tomando este ponto como base…reflitamos juntos: Se este Sol atrasa sempre 50 segundos por ano em sua chegada ao ponto Vernal ou Áries… em 2 anos 50 segundos do ano anterior mais 50 do ano presente e assim por diante…isto resulta que em 2250 anos sua chegada no ponto vernal passe de um signo para outro no sentido retrógrado…aí está o valor real de duração de “uma era”…por isto que a famosa precessão dos equinócios ( movimento da terra em relação as estrelas sobre seu próprio eixo ) comprovada pela ciência oficial possui aproximadamente um tempo total de retorno ao ponto original de 26000 anos…o correto é 27000 anos….pois 2250 anos por signo multiplicado pelos 12 signos resulta 27000 anos……..12 signos….12 apóstolos….12 cavaleiros do Rei Arthur ( Arthus = Sutra )…muito poderia ser refletido..

Sendo este conhecimento agregado a evolução humana podemos ver que as Eras possuem tônicas que são trabalhadas através da consciência unitária em 2250 anos…vejamos uma pequena cronologia que podemos dizer “conhecida” pela história humana através das Eras…

Era de Touro – Aproximadamente 3000 AC……Tivemos o Avatara Krishna…a verdadeira personificação da divindade com o amor venusiano ( regente de Touro ) firmando e estruturando ( vibrações de Touro ) a verdadeira religião oriental consolidada em valores verdadeiros em relação a Sabedoria iniciática das idades…assim como Cristo ficou conhecido como pescador….temos Krishna como o vaqueiro…animal adorado e respeitado na Índia até a atualidade…..Yeseus Krishna…Jesus Cristo….a mesma consciência avatárica…só que em Era diferente…

Era de Áries – Aproximadamente 1500 AC….Acompanhando os fatos avatáricos mais conhecidos da história da humanidade podemos citar agora Moisés…o grande condutor e libertador do povo Judeu…vibrava com o rigor Marciano ( regente de Áries )…teve suas canalizações divinas através da sarça ardente ( fogo = Áries )…a árvore da vida……..O fabuloso Michelangelo ( Anjo Miguel ou Mikael ) o ilustrou em uma escultura com chifres ( Carneiro )…muito ainda poderia ser falado sobre isto…………vemos ainda nesta Era o firmamento da Espada Romana…guerra e conquista…a força de Marte…tudo no projeto da Lei Divina…

  

Um grande ser que deve ser citado como possivelmente o concluidor da Era de Áries para o Início da Era de Peixes em aproximadamente 500 AC foi o Avatara Sidharta Gautama – O Buda ( totalmente desperto ) que meditou 7 dias abaixo da árvore para atingir sua iluminação…pregava o equilíbrio e o caminho do meio….a égide libriana no seu apogeu em prol do equilíbrio e harmonia………….Libra é o signo polar e complementar a Áries…

  

Era de Peixes – 7 AC foi o nascimento do Avatara da Era de Peixes Jeoshua Ben Pandira – Jesus Cristo bíblico…seu nascimento ocorreu 7 anos antes da data oficial como marco inicial zero  da humanidade pois neste ano ( 7 AC ) tivemos a conjunção dos planetas Júpiter e Saturno no signo de Peixes…a Estrela de Belém que guiou os 3 Reis magos que vieram saudar o Avatara de Peixes…sua mudra ( posição da mão quando abençoava ) era feita com os dedos de Júpiter ( indicador ) e Saturno ( médio )…foi batizado pelo seu anunciador João Batista ( JB – Joachim e Boaz – maçonaria e Jnana- conhecimento e Bakti- devoção na tradição oriental ) pelas águas de sua Era…multiplicou os pães e os peixes ( Pães – trigo – virgem…signo complementar a peixes )….lavou os pés dos apóstolos ( pés=  signo de peixes no corpo humano )… firmou com a docilidade e compreensão de Júpiter ( regente de peixes assim como Netuno ) a verdadeira religião e o Amor Universal como tônica principal de sua Era……

        

O Grande concluidor da Era de Peixes e iniciador/ preparador da Era de Aquário foi o ainda desconhecido para a maioria da humanidade Profº Henrique José de Souza ( JHS )…nascido em Salvador Bahia em 1883 e falecido em 1963………era do signo de Virgem ( 15 de Setembro )…polar e complementar ao signo de Peixes…..Saturno e Urano vibram na Era de Aquario…..o novo…o rompimento com consciências desgastadas que não religam mais a humanidade a verdade é a tônica…..o futuro e a tecnologia fazem a espiritualidade marchar junto da ciência….todos são “buscadores da verdade”……….O Profº Henrique José de Souza foi anunciado por Helena Petrovna Blavatsky…também uma manifestação avatárica da Era de Peixes…..Ela profetizou seu nascimento como uma grande consciência que se manifestaria no Ocidente realizando todo o transbordo das experiências do Oriente para o Ocidente….marco simbolizado pelo obelisco localizado na frente do Templo da Sociedade Brasileira de Eubiose em São Lourenço – Sul de Minas Gerais…seus dizeres gravados no obelisco são oferecidos para qualquer pessoa da parte do planeta que chegue a ele”………..São Lourenço é a 8ª Cidade das 7 sagradas representando a síntese evolucional cósmica….o grande instrumental geográfico ( cidades ) para se adquirir consciência no momento atual da evolução……..Preparou e anunciou o advento do Avatara da Era de Aquário que se deu a partir de 28 de setembro de 2005 em terras brasileiras e universalmente conforme a tradição que se iniciou no Oriente  e se firmou no Ocidente com seu manancial de conhecimentos passados…..O Avatara de Aquário chama-se Maitréia Buda….

  

 

AS 7 CIDADES SAGRADAS E SÃO LOURENÇO- MG

As 7 cidades sagradas são Pouso Alto, Itanhandú, Carmo de Minas, Maria da Fé, São Tomé das Letras, Conceição do Rio Verde e Aiuruoca, que sintetizam suas vibrações na 8ª cidade que é a Nova Jerusalém, a capital espiritual do Novo Milênio que é São Lourenço também no Sul de Minas Gerais. Lembremos sobre as 7 igrejas narradas no Apocalipse de São João.

Cada cidade possui uma tônica evolucional ligada à Era de Aquário, vamos a Elas:

 

Pouso Alto

Tem como Tônica a Alquimia, o poder de transformar a pedra bruta ( alma impura ) em pedra filosofal ( alma pura ). O anjo regente é Mikael, que como hierarquia dos Arcanjos na Cabala cuida das experiências dos povos e nações.

Plasmando a Alquimia sagrada no Sul de Minas a cidade de Pouso Alto possui ligações com a também cidade sagrada de Machu Picchu no Peru, que esparge suas vibrações para o mundo como um chacra. O chacra de referência no corpo humano é o básico/ raiz. Machu Picchu é o chacra da Terra da América do Sul.

 

Astrologicamente estas cidades são regidas pelo Planeta Sol, possuindo estreitas ligações com o signo de Leão, a força da individualidade em prol da criatividade e do renascimento de uma nova consciência.

  

Na tradição Oculta o Planeta Sol possui ligações com o Arcano 22 “O Mundo”, que vibra a síntese e a consciência integral que assimilou e revelou o segredo da esfinge, despertando a mente angélica.

O número 111, assim como a cor laranja ( tatwa ou força sutil da natureza chamado Pritivi ) também tem suas vibrações ligadas a Pouso Alto, reduzindo teosoficamente chegamos ao 3 ( 1+1+1 ), formando na cabala o quadrado mágico do Sol que somado em qualquer coluna seus números ( vertical, horizontal ou transversal ) chegando a um dígito resulta o 3.

Os caracteres do quadrado mágico estão em verde pois correspondem a Vaiú o tatwa do ar em correspondência a Saturno o planeta polar e complementar ao Sol.

 

 

Itanhandú

Tem como Tônica a Arte, o poder de transformar o que é feio, sem harmonia, em belezas e perfeições, tanto no plano físico como de alma, rumando para as belezas espirituais. O anjo regente é Gabriel, que como hierarquia dos Anjos na Cabala cuida dos reinos manifestados no estágio atual da evolução: mineral, vegetal, animal e humano.

Plasmando a Arte sagrada no Sul de Minas a cidade de Itanhandú possui ligações com um local sagrado, o deserto de El Moro nos Estados Unidos, que esparge suas vibrações para o mundo como um chacra. O chacra de referência no corpo humano é o esplênico. El Moro é o chacra da Terra da América do Norte.

 

Astrologicamente a cidade de Itanhandú é regida pelo Planeta Lua, possuindo estreitas ligações com o signo de Câncer, a sensibilidade e psiqué vibrando para o renascimento de uma nova consciência.

     

Na tradição Oculta o Planeta Lua possui ligações com o Arcano 2 “A Sacerdotisa”, que vibra todos os segredos do universo, a benevolência e o amor universal, fazendo com que a humanidade possua o direito de adentrar o segredo divino velado em seu livro e chave.

O número 369, assim como a cor violeta ( tatwa ou força sutil da natureza chamado Apas) também tem suas vibrações ligadas a Itanhandú, reduzindo teosoficamente chegamos ao 9 ( 3+ 6+ 9 = 18…1+ 8 = 9 ), formando na cabala o quadrado mágico da Lua que somado em qualquer coluna seus números ( vertical, horizontal ou transversal ) chegando a um dígito resulta o 9.

A cidade de El Moro como polaridade e complemento a Itanhandú possui a regência de Saturno, este o motivo dos caracteres estarem em verde, tatwa Vaiú em relação ao planeta Saturno polar e complementar a Lua.

 

 

 

Carmo de Minas

Tem como Tônica a Ética e a Política, o poder dos valores morais e espirituais em prol da realização verdadeira, a arte guerreira como uma política ( poli- ética ) com valores sinárquicos ( governo espiritual ) . O anjo regente é Samael, que com a hierarquia das Potências na Cabala  imprimi e realiza o movimento dos astros.

Plasmando a Ética e a Política sagradas no Sul de Minas a cidade de Carmo de Minas possui ligações com a também cidade sagrada de Chichen Itzá no México, que esparge suas vibrações para o mundo como um chacra. O chacra de referência no corpo humano é o umbilical. Chichen Itzá é o chacra da Terra da América Central.

 

Astrologicamente a cidade de Carmo de Minas é regida pelo Planeta Marte, possuindo estreitas ligações com os signos de Áries e Escorpião, a auto afirmação, realização e força para o renascimento de uma nova consciência.

         

Na tradição Oculta o Planeta Marte possui ligações com o Arcano 11 “A Força”, o equilíbrio entre o espírito e o corpo, representando uma alma pura e harmônica com imenso poder de realização.

O número 65, assim como a cor vermelha ( tatwa ou força sutil da natureza chamado Tejas) também tem suas vibrações ligadas a Carmo de minas, reduzindo teosoficamente chegamos ao 2 ( 6 + 5 = 11 … 1+ 1 = 2 ), formando na cabala o quadrado mágico de Marte que somado em qualquer coluna seus números ( vertical, horizontal ou transversal ) chegando a um dígito resulta o 2.

A cidade de Chichén Itzá como polaridade e complemento a Carmo de Minas possui a regência de Vênus,este o motivo dos caracteres estarem em azul indigo, tatwa Akasha em relação ao planeta Vênus polar e complementar a Marte.

 

 

Maria da Fé

Tem como Tônica a Ciência e a Tecnologia, a espiritualidade aliada ao avanço humano concreto, gerando os maravilhosos frutos da Era de aquário. O anjo regente é Rafael, que como hierarquia das Virtudes na Cabala gera todo o universo da forma.

Plasmando a Ciência e a Tecnologia sagradas no Sul de Minas a cidade de Maria da Fé possui ligações com a também cidade sagrada de Sidney na Austrália, que esparge suas vibrações para o mundo como um chacra. O chacra de referência no corpo humano é o cardíaco. Sidney é o chacra da Terra da Oceania.

 

Astrologicamente a cidade de Maria da Fé é regida pelo Planeta Mercúrio, possuindo estreitas ligações com os signos de Gêmeos e Virgem, a força do intelecto para o renascimento de uma nova consciência.

             

Na tradição Oculta o Planeta Mercúrio possui ligações com o Arcano 17 “A Estrela”, a esperança de um futuro melhor, a humanidade semeando e germinando através do equilíbrio entre mente e coração, conhecimento e  cultura.

O número 260, assim como a cor amarela ( tatwa ou força sutil da natureza chamado Anupadaka ) também tem suas vibrações ligadas a Maria da Fé , reduzindo teosoficamente chegamos ao 8 ( 2 + 6 +0 = 8 ), formando na cabala o quadrado mágico de Mercúrio que somado em qualquer coluna seus números ( vertical, horizontal ou transversal ) chegando a um dígito resulta o 8.

A cidade de Sidney como polaridade e complemento a Maria da Fé possui a regência de Júpiter,este o motivo dos caracteres estarem em púrpura, tatwa Adi em relação ao planeta Júpiter polar e complementar a Mercúrio.

 

 

 

São Tomé das Letras

Tem como Tônica a Literatura, a espiritualidade na escrita, gerando os maravilhosos frutos da Era de aquário. O anjo regente é Saquiel, que como hierarquia das Dominações na Cabala cria e gera os sistemas evolucionais.

 

 

Plasmando a Literatura sagrada no Sul de Minas a cidade de São Tomé das Letras possui ligações com a também cidade sagrada de Sintra em Portugal, que esparge suas vibrações para o mundo como um chacra. O chacra de referência no corpo humano é o laríngeo. Sintra é o chacra da Terra Europeu.

 

Astrologicamente a cidade de São Tomé das Letras é regida pelo Planeta Júpiter, possuindo estreitas ligações com os signos de Sagitário e Peixes,a expansão da fé, espiritualidade e conexões superiores entre humano e Deus.

             

Na tradição Oculta o Planeta Júpiter possui ligações com o Arcano 4 “O Imperador”, a estrutura e a consolidação dos valores espirituais da Era de Aquário.

O número 43, assim como a cor púrpura ( tatwa ou força sutil da natureza chamado Adi ) também tem suas vibrações ligadas a São Tomé das Letras, reduzindo teosoficamente chegamos ao 7 ( 4 + 3 = 7 ), formando na cabala o quadrado mágico de Júpiter que somado em qualquer coluna seus números ( vertical, horizontal ou transversal ) chegando a um dígito resulta o 7.

A cidade de Sintra como polaridade e complemento a São Tomé das Letras possui a regência de Mercúrio, este o motivo dos caracteres estarem em amarelo, tatwa Anupadaka em relação ao planeta Mercúrio polar e complementar a Júpiter.

 

 

Conceição do Rio Verde

Tem como Tônica a Filosofia, a Religião como “Re- ligar”,  a espiritualidade no templo, gerando os maravilhosos frutos da Era de aquário. O anjo regente é Anael, que como hierarquia dos Principados na Cabala cuida das experiências evolutivas.

 

 

 

Plasmando a Filosofia e a Religião sagradas no Sul de Minas a cidade de Conceição do Rio Verde possui ligações com a também cidade sagrada do Cairo no Egito, que esparge suas vibrações para o mundo como um chacra. O chacra de referência no corpo humano é o frontal. Cairo é o chacra da Terra Africano.

 

Astrologicamente a cidade de Conceição do Rio Verde é regida pelo Planeta Vênus, possuindo estreitas ligações com os signos de Touro e Libra,o poder de atração da Lei Divina, a humanidade junta em prol de um ideal espiritual.

          

Na tradição Oculta o Planeta Vênus possui ligações com o Arcano 3 “A Imperatriz”, a geração e plasmação de novos valores filosóficos e religiosos integrados a Era de Aquário.

O número 175, assim como a cor índigo ( tatwa ou força sutil da natureza chamado Akasha ) também tem suas vibrações ligadas a Conceição do Rio Verde, reduzindo teosoficamente chegamos ao 4 ( 13= 1 + 3 = 4 ), formando na cabala o quadrado mágico de Vênus que somado em qualquer coluna seus números ( vertical, horizontal ou transversal ) chegando a um dígito resulta o 4.

A cidade do Cairo como polaridade e complemento a Conceição do Rio Verde possui a regência de Marte, este o motivo dos caracteres estarem em vermelho, tatwa Tejas em relação ao planeta Marte polar e complementar a Vênus.

Aiuruoca

Tem como Tônica a Teurgia/ Taumaturgia, a Medicina do futuro conectada com os anjos e devas. O anjo regente é Cassiel, que como hierarquia dos Tronos na Cabala gera a vida universal.

 

 

 

Plasmando a Teurgia e a Medicina sagradas no Sul de Minas a cidade de Aiuruoca possui ligações com a também cidade sagrada de Sri Nagar na Índia que esparge suas vibrações para o mundo como um chacra. O chacra de referência no corpo humano é o coronal. Sri Nagar é o chacra da Terra Asiático.

 

Astrologicamente a cidade de Aiuruoca é regida pelo Planeta Saturno, possuindo estreitas ligações com os signos de Capricórnio e Aquário,a estruturação e disciplina necessárias para o firmamento da Grande Obra Divina na face da terra.

          

Na tradição Oculta o Planeta Saturno possui ligações com o Arcano 20 “O Julgamento”, o renascimento e a libertação dos velhos valores para que surja a integração verdadeira na Era de Aquário.

O número 15, assim como a cor verde ( tatwa ou força sutil da natureza chamado Vayu) também tem suas vibrações ligadas a Aiuruoca, reduzindo teosoficamente chegamos ao 6 ( 15= 1 + 5 = 6 ), formando na cabala o quadrado mágico de Saturno que somado em qualquer coluna seus números ( vertical, horizontal ou transversal ) chegando a um dígito resulta o 6.

A cidade de Sri Nagar como polaridade e complemento à Aiuruoca possui a regência da Lua, este o motivo dos caracteres estarem em Violeta, tatwa Apas em relação ao planeta Lua polar e complementar a Saturno.

 São Lourenço – A Síntese – 8ª Cidade

Tem como Tônica a “Iluminação”. Todas hierarquias divinas vibram em São Lourenço. Todas as vibrações das 7 cidades sagradas contribuem com  a “Luz Síntese” que dela emana. É a Nova capital Espiritual do Mundo.

 

 

 

Como foi revelado de forma profunda pelo Mestre Profº Henrique José de Souza ( JHS ), São Lourenço está conectada com as dimensões espirituais do planeta, os Mundos de Badagas, Duat, Agartha e Shamballah, sempre narrados nos conhecimentos sagrados do Oriente.

 

Astrologicamente poderíamos associar São Lourenço aos 3 planetas exteriores quando são vibrados como consciências espirituais: Plutão- A Vontade Universal ( Pai ), Netuno- O Amor Universal ( Mãe ) e Urano- A Mente Universal ( Filho ).

                    

Todos os 12 signos pertencem a São Lourenço, como se fosse a própria Mãe Divina e seu manto índigo com estrelas, gerando e protegendo tudo e todas as coisas como o Templo síntese de todas as religiões.

 

 

Na tradição Oculta, 3 Arcanos Maiores vibram as consciências de Causa- Arcano 1 – O Mago, Lei – Arcano 13 – A Morte e Efeito- Arcano 21 – O Louco, assim como as Letras Mães do Alfabeto Hebraico, Aleph com O Arcano 1, Men com o Arcano 13 e Shim com o Arcano 21.

 

         

                                                                                                  

 

O Simbolismo do “Olho do Grande Arquiteto do Universo” que a “tudo e todos vê” pode ser associado a São Lourenço, assim como a Rosa Cruz no Ocidente que representa o “Espírito na Carne”.

          

 

A Geografia das 7 cidades sagradas mais a central São Lourenço forma a Constelação de Órion, portal das Consciências espirituais e causais para o universo manifestado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: texto  Prof. Nilton Schultz 

 

Anúncios

Os Sete Princípios Herméticos e a Umbanda

No caminho do aprendizado na Umbanda, deparamos com dúvidas e perguntas, sendo que muitas delas, nos leva necessidade de buscar informação em outras raízes e/ou tradições.

Já sabemos que a Umbanda é um celeiro de possibilidades e com certeza, nos permite transitar por elas recolhendo ensinamentos, estes, que são amplamente aplicados pelos Guias Espirituais, sendo que uma vez recebidos, nos direciona para outro caminho que é a pesquisa, seja ela religiosa ou magística.

Há quem entenda que a pesquisa possa levar o médium ao animismo, mas, sendo a pesquisa balizada em busca verdadeira das suas condições e motivações, também, pelo amparo daqueles que lhe ofereceram a oportunidade, ou seja, seus Guias ou Mentores Espirituais, o seu resultado é o esclarecimento do médium e consequentemente, maior segurança no seu trabalho. Vale esclarecer, que o estado anímico é importante no inicio do desenvolvimento mediúnico, devido as sensações experimentadas pelo médium, fazendo com que ele, comece a perceber o caminho percorrido pela energia que lhe é associada, contudo, o mesmo animismo deve ser superado pelo desenvolvimento do médium e, para tal, o estudo e pesquisa são condição sinequanon para o sucesso verdadeiro.

Pois bem, como já dissemos em artigo anterior, a Umbanda não é feita de mistérios, como se acreditava no passado, ela possui explicações, estas que nos revelam os fundamentos Divinos e estes, nos ensinam seus princípios. Sabemos que a Umbanda possui princípios fundamentais, que sem eles o entendimento da configuração de trabalho das Entidades seria impossível.

 Entretanto, estes princípios não são exclusividade da Umbanda, eles são e estão pautados na necessidade da tomada de consciência do Ser, do Homem na condição Divina, isso, em todas as religiões ou associações que se dedicam a esta busca.

Para comprovar esta condição, citamos Hermes Trismegisto, o “Três Vezes Grande”, que já no antigo Egito, revelou os sete princípios que acredito serem os mais conhecidos e importantes do conhecimento oculto e, para nossa surpresa, fundamentais na Umbanda.

Vejamos abaixo uma pequena explanação dos Sete Princípios, o que não descarta entendimento próprio do leitor, assim, caros irmãos, eu os convido a leitura.         

OS SETE PRINCÍPIOS HERMÉTICOS

“Os Princípios da Verdade são Sete; aquele que os conhece perfeitamente, possui a Chave Mágica com a qual todas as Portas do Templo podem ser abertas completamente.” – O CAIBALION-

Os Sete Princípios em que se baseia toda a Filosofia hermética são os seguintes:

I. O Princípio de Mentalismo.

II. O Princípio de Correspondência.

III. O Princípio de Vibração.

IV. O Princípio de Polaridade.

V. O Princípio de Ritmo.

VI. O Princípio de Causa e Efeito.

VII. O Princípio de Gênero.

 

1. O Principio de Mentalismo

“O TODO é MENTE; o Universo é Mental.” – O CAIBALION –

Este Princípio contém a verdade que Tudo é Mente. Explica que O TODO (que,é a Realidade substancial que se oculta em todas as manifestações e aparências que conhecemos sob o nome de Universo Material, Fenômenos da Vida, Matéria, Energia, numa palavra, sob tudo o que tem aparência aos nossos sentidos materiais) é ESPÍRITO, é INCOGNOSCíVEL e INDÈFINFVEL em si mesmo, mas pode ser considerado como uma MENTE VIVENTE INFINITA e UNIVERSAL. Ensina também que todo o mundo fenomenal ou universo é simplesmente uma Criação Mental do TODO, sujeita às Leis das Coisas criadas, e que o universo, como um todo, em suas partes ou unidades, tem sua existência na mente do TODO, em cuja Mente vivemos, movemos e temos a nossa existência. Este Princípio, estabelecendo a Natureza Mental do Universo, explica todos os fenômenos mentais e psíquicos que ocupam grande parte da atenção pública, e que, sem tal explicação, seriam ininteligíveis e desafiariam o exame científico.

A compreensão deste Princípio hermético do Mentalismo habilita o indivíduo a abarcar prontamente as leis do Universo Mental e a aplicar o mesmo Princípio para a sua felicidade e adiantamento. O estudante Hermetista ainda não sabe aplicar inteligentemente a grande Lei Mental, apesar de empregá-la de maneira casual.

Com a Chave-Mestra em seu poder, o estudante poderá abrir as diversas portas do templo psíquico e mental do conhecimento e entrar por elas livre e inteligentemente. Este Princípio explica a verdadeira natureza da Força, da Energia e da Matéria, como e por que todas elas são subordinadas ao Domínio da Mente. Um velho Mestre hermético escreveu, há muito tempo: “Aquele que compreende a verdade da Natureza Mental do Universo está bem avançado no Caminho do Domínio.” E estas palavras são tão verdadeiras hoje, como no tempo em que foram escritas. Sem esta Chave-Mestra, o Domínio é impossível, e o estudante baterá em vão nas diversas portas do Templo.

 

II. O Principio de Correspondência

“O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima.” – O CAIBALION –

Este Princípio contém a verdade que existe uma correspondência entre as leis e os fenômenos dos diversos planos da Existência e da Vida. O velho axioma hermético diz estas palavras: “O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima.’ A compreensão deste Princípio dá ao homem os meios de explicar muitos paradoxos obscuros e segredos da Natureza. Existem planos fora dos nossos conhecimentos, mas quando lhes aplicamos o Princípio de Correspondência chegamos a compreender muita coisa que de outro modo nos seria impossível compreender. Este Princípio é de aplicação e manifestação universal nos diversos planos do universo material, mental e espiritual: é uma Lei Universal.

Os antigos Hermetistas consideravam este Princípio como um dos mais importantes instrumentos mentais, por meio dos quais o homem pode ver além dos obstáculos que encobrem à vista o Desconhecido. O seu uso constante rasgava aos poucos o véu de Isis e um vislumbre da face da deusa podia ser percebido. Justamente do mesmo modo que o conhecimento dos Princípios da Geometria habilita o homem, enquanto estiver no seu observatório, a medir sóis longínquos, assim também o conhecimento do Princípio de Correspondência habilita o Homem a raciocinar inteligentemente, do Conhecido ao Desconhecido. Estudando a mônada, ele chega a compreender o arcanjo.

III. O Princípio de Vibração

“Nada está parado; tudo se move; tudo vibra.” – O CAIBALION –

Este Princípio encerra a verdade que tudo está em movimento: tudo vibra; nada está parado; fato que a Ciência moderna observa, e que cada nova descoberta científica tende a confirmar. E contudo,  este Princípio hermético foi enunciado há milhares de anos pelos Mestres do antigo Egito.

Este Princípio explica que as diferenças entre as diversas manifestações de Matéria, Energia, Mente e Espírito, resultam das ordens variáveis de Vibração. Desde O TODO, que é Puro Espírito, até a forma mais grosseira da Matéria, tudo está em vibração; quanto mais elevada for a vibração, tanto mais elevada será a posição na escala. A vibração do Espírito é de uma intensidade e rapidez tão infinitas que praticamente ele está parado, como uma roda que se move muito rapidamente parece estar parada.

Na extremidade inferior da escala estão as grosseiras formas da matéria, cujas vibrações são tão vagarosas que parecem estar paradas. Entre estes pólos existem milhões e milhões de graus diferentes de vibração. Desde o corpúsculo e o elétron, desde o átomo e a molécula, até os mundos e universos, tudo está em movimento vibratório. Isto é verdade nos planos da energia e da força (que também variam em graus de vibração); nos planos mentais (cujos estados dependem das vibrações), e também nos planos espirituais.

O conhecimento deste Princípio,’ com as fórmulas apropriadas, permite ao estudante Hermetista conhecer as suas vibrações mentais, assim como também a dos outros. Só os Mestres podem aplicar este Princípio para a conquista dos Fenômenos Naturais, por diversos meios. “Aquele que compreende o Princípio de vibração alcançou o cetro do poder”, diz um escritor antigo.

IV. O Principio de Polaridade

“Tudo é Duplo; tudo tem pólos; tudo tem o seu oposto; o igual e o desigual são a mesma coisa; os opostos são idênticos em natureza, mas diferentes em grau; os extremos se tocam; todas as verdades são meias verdades; todos os paradoxos podem ser reconciliados.” – O CAIBALION –

Este Princípio encerra a verdade: tudo é Duplo; tudo tem dois pólos; tudo tem o seu oposto, que formava um velho axioma hermético. Ele explica os velhos paradoxos, que deixaram muitos homens perplexos, e que foram estabelecidos assim: A Tese e a Antítese são idênticas em natureza, mas diferentes em grau; os opostos são a mesma coisa, diferindo somente em grau; os pares de opostos podem ser reconciliados; os extremos se tocam; tudo existe e não existe ao mesmo tempo; todas as verdades são meias-verdades; toda verdade é meio-falsa; há dois lados em tudo, etc., etc.

Ele explica que em tudo há dois pólos ou aspectos opostos, e que os opostos são simplesmente os dois extremos da mesma coisa, consistindo a diferença em variação de graus. Por exemplo: o Calor e o Frio, ainda que sejam; opostos, são a mesma coisa, e a diferença que há entre eles consiste simplesmente na variação de graus dessa mesma coisa.

Olhai para o vosso termômetro e vede se podereis descobrir onde termina o calar e começa o frio! Não há coisa de calor absoluto ou de frio absoluto; os dois termos calor e frio indicam somente a variação de grau da mesma coisa, e que essa mesma coisa que se manifesta como calor e frio nada mais é que uma forma, variedade e ordem de Vibração.

Assim o calor e o frio são unicamente os dois pólos daquilo que chamamos Calor; e os fenômenos que daí decorrem são manifestações do Princípio de Polaridade. O mesmo Princípio se manifesta no caso da Luz e da Obscuridade, que são a mesma coisa, consistindo a diferença simplesmente nas variações de graus entre os dois pólos do fenômeno Onde cessa a obscuridade e começa a luz? Qual é a diferença entre o grande e o pequeno? Entre o forte e o fraco? Entre o branco e o preto? Entre o perspicaz e o néscio? Entre o alto e o baixo? Entre o positivo e o negativo.

O Princípio de Polaridade explica estes paradoxos e nenhum outro Princípio pode excedê-lo. O mesmo Princípio opera no Plano mental. Permitiu-nos tomar um exemplo extremo: o do Amor e o ódio, dois estados mentais em aparência totalmente diferentes. E, apesar disso, existem graus de ódio e graus de Amor, e um ponto médio em que usamos dos termos Igual ou Desigual, que se encobrem mutuamente de modo tão gradual que às vezes temos dificuldades em conhecer o que nos é igual, desigual ou nem um nem outro. E todos são simplesmente graus da mesma coisa, como compreendereis se meditardes um momento. E mais do que isto (coisa que os Hermetistas consideram de máxima importância), é possível mudar as vibrações de ódio em vibrações de Amor, na própria mente de cada um de nós e nas mentes dos outros.

Muitos de vós, que ledes estas linhas, tiveram experiências pessoais da transformação do Amor em ódio ou do inverso, quer isso se desse com eles mesmos, quer com outros. Podeis pois tornar possível a sua realização, exercitando o uso da vossa Vontade por meio das fórmulas herméticas. Deus e o Diabo, são, pois, os pólos da mesma coisa, e o Hermetista entende a arte de transmutar o Diabo em Deus, por meio da aplicação do Princípio de Polaridade. Em resumo, a Arte de Polaridade fica sendo uma fase da Alquimia Mental, conhecida e praticada pelos antigos e modernos Mestres Hermetistas. O conhecimento do Princípio habilitará o discípulo a mudar a sua própria Polaridade, assim como a dos outros, se ele consagrar o tempo e o estudo necessário para obter o domínio da arte.

V. O Principio de Ritmo

“Tudo tem fluxo e refluxo; tudo, em suas marés; tudo sobe e desce; tudo se manifesta por oscilações compensadas; a medida do movimento à direita é a medida do movimento à esquerda; o ritmo é a compensação.” – O CAIBALION –

Este Princípio contém a verdade que em tudo se manifesta um movimento para diante e para trás, um fluxo e refluxo, um movimento de atração e repulsão, um movimento semelhante ao do pêndulo, uma maré enchente e uma maré vazante, uma maré -alta e uma maré baixa, entre os dois pólos, que existem, conforme o Princípio de Polaridade de que tratamos há pouco. Existe sempre uma ação e uma reação, uma marcha e uma retirada, uma subida e uma descida. Isto acontece nas coisas do Universo, nos sóis, nos mundos, nos homens, nos animais, na mente, na energia e na matéria.

Esta lei é manifesta na criação e destruição dos mundos, na elevação e na queda das nações, na vida de todas as coisas, e finalmente nos estados mentais do Homem (e é com estes últimos que os Hermetistas reconhecem a compreensão do Princípio mais importante). Os Hermetistas compreenderam este Princípio, reconhecendo a sua aplicação universal, e descobriram também certos meios de dominar os seus efeitos no próprio ente com o emprego de fórmulas e métodos apropriados. Eles aplicam a Lei mental de Neutralização. Eles não podem anular o Princípio ou impedir as suas operações, mas aprenderam como se escapa dos seus efeitos na própria pessoa, até um certo grau que depende do Domínio deste Princípio. Aprenderam como empregá-lo, em vez de serem empregados por ele.

Neste e noutros métodos consiste a Arte dos Hermetistas. O Mestre dos Hermetistas polarizasse até o ponto em que desejar, e então neutraliza a Oscilação Rítmica pendular que tenderia a arrastá-lo ao outro pólo.

Todos os indivíduos que atingiram qualquer grau de Domínio próprio executam isto até um certo grau, mais ou menos inconscientemente, mas o Mestre o faz conscientemente e com o uso da sua Vontade, atingindo um grau de Equilíbrio e Firmeza mental quase impossível de ser acreditado pelas massas populares que vão para diante e para trás como um pêndulo. Este Princípio e o da Polaridade foram estudados secretamente pelos Hermetistas, e os métodos de impedi-los, neutralizá-los e empregá-los formam uma parte importante da Alquimia Mental do Hermetismo.

 

VI. O Principio de Causa e Efeito

“Toda a Causa tem seu Efeito, todo Efeito tem sua Causa; tudo acontece de acordo com a Lei; o Acaso é simplesmente um nome dado a uma Lei não reconhecida; há muitos planos de causalidade, porém nada escapa à Lei.” – O CAIBALION –

Este princípio contém a verdade que há uma Causa para todo o Efeito e um Efeito para toda a Causa. Explica que: Tudo acontece de acordo com a Lei, nada acontece sem razão, não há coisa que seja casual; que, no entanto, existem vários planos de Causa e Efeito, os planos superiores dominando os planos inferiores, nada podendo escapar completamente da Lei.

Os Hermetistas conhecem a arte e os métodos de elevar-se do plano ordinário de Causa e Efeito, a um certo grau, e por meio da elevação mental a um plano superior tomam-se Causadores em vez de Efeitos.

As massas do povo são levadas para a frente; os desejos e as vontades dos outros são mais fortes que as vontades delas; a hereditariedade, a sugestão e outras causas exteriores movem-nas como se fossem peões no tabuleiro de xadrez da Vida. Mas os Mestres, elevando-se ao plano superior, dominam o seu gênio, caráter, suas qualidades e poderes, tão bem como os que o cercam e tornam-se Motores em vez de peões. Eles ajudam a jogar a criação, quer física, quer mental ou espiritual, é possível sem partida da vida, em vez de serem jogados e movidos por outras vontades e influências. Empregam o Princípio em lugar de serem seus instrumentos. Os Mestres obedecem à Causalidade do plano superior, mas ajudam a governar o nosso plano.

Neste preceito está condensado um tesouro do Conhecimento hermético: aprenda-o quem quiser.

VII. O Principio de Gênero

“O Gênero está em tudo; tudo tem o seu princípio masculino e o seu princípio feminino; o gênero se manifesta em todos os planos.” – O CAIBALION –

Este princípio encerra a verdade que o gênero é manifestado em tudo; que o princípio masculino e o princípio feminino sempre estão em ação. Isto é certo não só no Plano físico, mas também nos Planos mental e espiritual. No Plano físico este Princípio se manifesta como sexo, nos planos superiores toma formas superiores, mas é sempre o mesmo Princípio.

Nenhuma criação, quer física, quer mental ou espiritual, é possível sem este Princípio, A compreensão das suas leis poderá esclarecer muitos assuntos que deixaram perplexas as mentes dos homens.

O Princípio de Gênero opera sempre na direção da geração, regeneração e criação. Todas as coisas e todas as pessoas contêm em si os dois Elementos deste grande Princípio.

Todas as coisas machos têm também o Elemento feminino; todas as coisas fêmeas têm o Elemento masculino. Se compreenderdes a filosofia da Criação, Geração e Regeneração mentais, podereis estudar e compreender este Princípio hermético. Ele contém a solução de muitos mistérios da Vida. Nós vos advertimos que este Princípio não tem relação alguma com as teorias e práticas luxuriosas, perniciosas e degradantes, que têm títulos empolgantes e fantásticos, e que nada mais são do que a prostituição do grande princípio natural de Gênero. Tais teorias, baseadas nas antigas formas infamantes do Falicismo, tendem a arruinar a mente, o corpo e a alma; e a Filosofia Hermética sempre publicou notas severas contra estes preceitos que tendem à luxúria, depravação e perversão dos princípios do Natureza, mas, se desejais tais ensinamentos podeis procurá-los noutra parte: o Hermetismo nada contém nestas linhas que sirva para vás. Para aquele que é puro, todas as coisas são puras; para os vis, todas as coisas são vis e baixas.

 

 

Fonte: O Caibalion

Seu Guia pediu uma fita, você sabe o por quê?

Quantas vezes durante os trabalhos ou em situações  apartadas,  somos surpreendidos quando um determinado Guia pede ao cambone fitas, de cores e tamanhos  variados.  Saiba que isso é parte de um processo magístico e tem fundamento e que pode ser esclarecido tomando como base a explicação abaixo do Mestre Rubens Saraceni. Eu os convido à leitura.

1. Existem na cria­ção, irradiações Divinas que se assemelham a “FITAS” (a venda no comércio), devido a similaridade de largura, e usadas em trabalhos de magia. Ao se falar em Mistério das 7 Fitas Sagradas, referimo-nos a este tipo de irradiação Divina cujas faixas estreitas tem as mais variadas cores, e por trazerem dentro de si, vi­brações das mais diversas possíveis, e por transportarem muitos fatores, quando são direcionadas magisticamente, realizam trabalhos importantíssimos tanto positivos quanto negativos. Estas “Fitas Divinas” são, na verdade, a fusão ou o entrelaçamento de ondas vibratórias que criam aos olhos dos seus observadores, a impressão de que estão vendo fitas coloridas.

 2. Estas irradiações Divinas semelhan­tes a Fitas, por transportarem vibrações desde o plano Divino da Criação até o pla­­no espiritual e por imantação condensa­rem seus mistérios em fitas feitas de tecido, dão a estes materiais todo um poder magístico. Fitas vem sendo usadas, na Umbanda, pelos guias espirituais que as cruzam e as amarram nos pulsos das pessoas como proteção ou repelidoras de vibrações negativas, assim como determi­nam aos seus médiuns que usem-nas ao re­dor da cintura ou transversalmente à direita ou à esquerda, sempre como pro­tetores. Mas também as usam para “amar­rar” forças negativas fora de controle ou rebeladas visando contê-las, e esgotar os seus negativismos. Também costumam pedir que fitas de determinada cor e quantidade (1,3,5,7) sejam colocadas dentro das oferendas, ainda que os seus médiuns ou quem for fazer a oferenda, nada saiba ou conheça sobre este poderosíssimo mistério simbólico da Umbanda.

3. As irradiações Divinas, na forma de fitas, partem de mentais divinos identificados por nós e dentro da Umbanda como Orixás. Portanto, basta fazer uma associação entre as cores dos Orixás e as fitas, que tanto temos o conhecimento de a quem pertencem quanto o que realizam.

4. A posição das fitas colo­ca­das ou amarradas no corpo do médium ou do consulente, indica o tipo de trabalho e qual linha está atuando.

. Fitas colocadas ao redor da cabeça, indica trabalho envolvendo o mental.

. Fitas amarradas a tira-colo ou transversalmente à esquerda, indicam trabalhos realizados por forças espirituais da esquerda.

. Fitas amarradas transversalmente e à direita, indicam trabalhos realizados pelas forças da direita.

. Fitas penduradas ao redor do pescoço e caídas sobre o peito, indicam campos protetores.

. Fitas amarradas na linha da cintura, indicam campos de trabalho protetor permanentes.

Portanto, quando os guias espirituais recomendam aos médiuns que usem ou despachem (as fitas), estes devem enten­der que por trás de cada cor e cada fita, está um poder divino que é atuante e cujas irradiações, na forma de “fitas”, partem desde o plano mais elevado da criação e chegam até o lado espiritual, podendo ser condensado ou irradiado através de fitas materiais cruzadas e imantadas pelos guias espirituais, uma vez que ao falarmos em um mistério das Sete Fitas Sagradas, estamos nos referindo a estas irradiações que são vivas, Divinas e capazes de realizarem poderosíssimos trabalho de magia.

5. Continuando com o que existe por trás de alguns elementos usados pelos guias espirituais da Umbanda, podemos fundamentá-los nos poderes desta forma:

. Existem irradiações divinas finíssimas e análogas a linhas. Estas irradiações penetram o mental das pessoas e alimentam suas faculdades e/ou dons mediúnicos, portanto, ao falarmos em 7 Linhas de Umbanda, estamos nos referindo a estas irradiações divinas provenientes direta­mente dos mentais dos Orixás para os dos médiuns. Assim como fazer trabalho com o uso de linhas coloridas é trabalhar com este mistério divino.

6. Os cordões usados pelos guias, sejam eles feitos de fios enrolados ou trançados ou en­feixados e enlinhados por fora, com uma linha, também são repro­duções de irradiações di­vinas proveni­en­tes dos mentais divinos que, por serem feixes de ondas vibratórias transportadoras e irradiadoras de fatores, e por serem vivas e realizadoras, então estes cordões  usados pelos guias, e que são simbolizados por laços, chicotes, cipós, e por cordões pro­priamente ditos, assim que são cruzados e imantados por eles, adquirem poderes magísticos.

Portanto, todos estes elementos adqui­ridos e outros aqui não citados, não são adereços folclóricos e muito menos enfeites, porquê são reproduções simbó­licas de irradiações divinas provenientes dos mentais divinos que fundamentam seus usos pelos guias espirituais da Umbanda.